domingo, 29 de janeiro de 2017

Aldeia fantasma

Casas abandonadas, a cair aos poucos, pedras pelo chão, ruas sujas, onde o musgo  e a erva se acumulam, um frio de não se ver vivalma, assim é o triste retrato da nossa aldeia nos tempos que correm. Permanecem os  mais velhos , porque a pouca juventude procura em outras paragens um futuro que  aqui não existe. O pouco  movimento é aos Domingos quando as pessoas se encontram ou no café, ou na Associação,únicos pontos de encontro existentes. O último censo declarava que Soutelinho tinha 150 habitantes, mas de há décadas para cá o número tem diminuído. Felizmente que ainda se vão fazendo alguns melhoramentos como disse no último post, mas a nível urbanístico, de casas em ruínas urge fazer algo, o quê, podia passar pelos proprietários, querendo e podendo, recorrer por exemplo a fundos comunitários e transformar essas casas em habitações de Turismo Rural, como se tem feito um pouco por todo o país, fica aqui a dica.





sábado, 17 de dezembro de 2016

Já cheira a Natal

Pois é, estamos cada vez mais próximos desta quadra festiva, em que no reunimos à volta de uma fogueira, com a família e amigos celebrando o nascimento de Cristo. É também a altura da matança do porco, de comer um bom fumeiro, de assar umas alheiras no lume, ou uma chouriça na brasa, acompanhadas de uma boa pinga e um pão centeio feito no forno comunitário.




Novidades

Finalmente, Soutelinho e a região em redor possuem uma antena para redes móveis colocada recentemente no Largo da Portela, a qual permite uma melhor cobertura das operadoras nacionais. Pena é que continuemos esquecidos ao nível da coberura de TDT, pelo menos ao nível de uma melhor amplitude de sinal, já que por diversas vezes é intermitente ou nulo, sendo melhor servidos pela TV Espanhola neste sentido.


Também a Junta de Freguesia, agora denominada Calvão/Soutelinho, está a levar a cabo algumas obras de beneficiação na Freguesia, nomeadamente na Rotunda do cemitério, e zona envolvente, bem como alguns caminhos, como o dos nabais que vai do Forno à casa do "Chispas".





quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Festas do Senhor dos Desamparados, que se realizaram no primeiro fim de semana de Junho.









Eucaristia.....


Procissão..
.

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Depois de uma ausência muito prolongada, por motivos de diversa ordem, e pelos quais peço desculpa a todos os seguidores, comprometendo-me a ser mais assíduo, assim me seja permitido, aqui vos deixo, depois de alguma pesquisa a marcha de Soutelinho, que o Rancho Folcrórico cantava :

Soutelinho é pequenino,
mas tem brio e tem valor,
castiçal de prata fina,
no altar de Deus senhor.
Parece que até nos diz,
ao olharmos para elas,
versos de Júlio Dinis,
numa formosa aguarela.

Refrão

Ele aqui vai,
a cantar e a bailar,
cheguem todos á janela, vai Soutelinho a passar.
Ele aqui vai todo cheio de alegria,
e com ele vai também, toda a nossa freguesia.

Na fronteira, é vigilante,
Soutelinho a trabalhar,
a sentinela distante,
a guardar, a pátria, o lar.
E quem por ele passar,
seja que entre ou saia,
hão de sempre recordar a Soutelinho da Raia.



quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Primeiras neves....

Olá a todos. Depois de uma ausência um pouco prolongada, aproveito enviando esta foto da primeira nevada em Soutelinho, para desejar uma Bom Ano de 2015, cheio de prosperidade e alegria a todos os Soutelinhenses espalhados pelo mundo. Em breve publicarei mais posts, abraço a todos.

segunda-feira, 21 de julho de 2014

Novo pároco

Tomou posse no passado dia 13 de Maio,  em Vilar de Perdizes, o novo pároco de Soutelinho, Meixide e Vilar, de seu nome António Joaquim Dias, natural de Peireses, Montalegre., vindo substituir na condução dos destinos destas paróquias o sempre eterno e presente Padre Fontes, que por motivos de  diversa ordem pediu dispensa das funções que exerceu durante 43 anos da sua vida. O novo pároco, exerce ainda as funções de Capelão do Regimento de Infantaria 16, em Chaves. O autor deste blogue dá as boas vindas a este sacerdote, desjando que sejam maiores as alegrias do que as agruras no cumprimento do seu ministério.