quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

O Engenho de rega

Este é um exemplar dos chamados "engenhos de água " que se encontravam espalhados pelos lameiros de Soutelinho. Mas qual o seu objectivo e como funcionavam ? Segundo o que me foi dito, e também pude observar em diversos locais, o seu objectivo era controlar o volume das águas guardadas nas poças, que se encontravam num ponto mais alto e espalhavam-nas pelos regos de forma a alimentar as pastagens e os fenos do gado. O seu funcionamento, era muito simples: tinham três buracos feitos na pedra, dois na parte de baixo e outro no topo, sendo escavado no meio de forma a haver uma circulação da água, que entrava por um lado e saía por outro, isto de uma forma muito simplificada. É um exemplar dos muitos que existem ainda, e que é urgente preservar e manter.

7 comentários:

Anónimo disse...

nao compreendo bem porque so vejo dois furos na pedra.de qualquer maneira parece engenharia adiantada pro tempo.bom trabalho,cumprimentos.ricardo

Anónimo disse...

AO SR. RICARDO:

como pode ver e se observar melhor verá realmente 2 buracos mas, para os ver, tem outro buraco aberto.2+1=3

o funcionamento é simples: ao subir, a agua retida vai criar vacuo com força suficiente para retirar um caudal suficiente para a irrigação das culturas em causa até que o poço fique vazio e recomeçar novo ciclo

Anónimo disse...

obrigado por a pronta resposta.tenho aqui comigo dois amigos e conterraneos seus que tambem nao compreendem o funcionamento.quando regressarem daqui usa tera oportunidade de lhe explicar melhor. mandam cumprimentos.saudacoes. ricardo

francisco alves disse...

Fico muito contente por ver que também aí na raia se interessam por preservar e estudar as técnicas e alfaias dos nossos antepassados. Muitos parabéns.
José Alves

distonio disse...

Conheço bem (por abrir uma na fonte cerdeira)e quando vasiou faz GLUUUUUUU GLUUUUUU

antonio disse...

A água foi sempre bem aproveitada pelos nossos antepassados. Estas engenhocas pelo que me apercebo são (foram) usadas noutras regiões do país como é o caso da minha que fica no Douro Sul. Conheço o "engenho", era assim que os lavradores o denominavam. Ainda me recordo de serem dois troncos de pinheiro escavados. Mais tarde usaram-se tubos de plástico que eram cortados em bisel e unidos um ao outro formando um ângulo agudo posicionado um tubo para dentro da poça e outro para fora. Com este sistema havia sempre água pontualmente noite e dia a regar o lameiro. Também conheço lá na terra um de pedra que ainda funciona.

(antonio)

Anónimo disse...

Por favor alguem que explique como o sifao intermitente se escorva.Ou melhor que dispositivo estara instalado no chamado terceiro buraco C.RIO